REPs para pessoas físicas

Os relógios eletrônicos de ponto, amplamente utilizados pelas empresas, começam agora a ganhar a espaço nas residências. Isso porque, com a aprovação da PEC Das Domésticas, controlar o horário de trabalho dos empregados residenciais se tornou uma necessidade, uma vez que a Proposta de Emenda à Constituição limita a jornada de trabalho de empregados domésticos em 44 horas semanais e determina o pagamento de horas extras, quando estas forem realizadas.

“Um bom sistema de marcação de ponto será fundamental de agora em diante. Ele é importante para o patrão, que fica resguardado do pagamento indevido de horas extra e fundamental para o empregado, que pode comprovar as horas extras realizadas e receber por elas”, afirma Antonio Vicente, superintendente de uma associada ABREP.

Tanto que já há no mercado relógios eletrônicos de ponto homologados pelo MTE, com custo mais acessível, com capacidade para atender até 10 empregados. “Nem sempre o patrão está em casa vendo que horas o funcionário chega e que horas sai. Ao mesmo tempo, o funcionário que marca o ponto tem a segurança dos comprovantes impressos por um dispositivo homologado pelo MTE, garantindo que cada minuto trabalhado será devidamente remunerado”, comenta Vicente.

O Brasil tem hoje 7,2 milhões de empregados domésticos e aparece como o país com a maior população de trabalhadores domésticos do mundo em números absolutos, segundo estudo feito em 117 países pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).